Hudson Henrique.
Tentando ser tudo no meio do nada. Sendo um nada no meio de tudo, entre todas as outras casas.
Capa Textos Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links

 
Textos
Curitiba, hoje, amanhã e desde então (Os botânicos sem flor).
Curitiba,
a cidade dos pecados perdidos em trilhos enferrujados.
Dos trens que adormecem calmos
e comem carvão frio.

Curitiba,
de infinitas garotas e mãe da minha solidão.
Estátuas de guerrilhas e pátria. 

A rosa queima no vermelho fogo,
e arde em teus dedos o fósforo aceso.

Das garotas de lábios gelados,
e cachecóis na garganta.
Em altos prédios com escadarias infinitas.
Algo que só lembra a saudade no centro da cidade.

Passo pelos botânicos sem flor.
Me calo quando vejo as fontes de odor.
Sigo, sem poder te achar.

É a cidade solidão,
implorando ser acompanhada.
Hoje... desde então.

Ela chora pelas alamedas e largos gelados.
Te receberia de braços estendidos,
largado sobre as calçadas escaldantes.
Sonhos, ambulantes. Carros do sonho, e doces.

Eu imploro e oro pelos dias que irão vir.
Eu espero e deterioro pelos dias que passaram por mim.

 - Hudson Henrique.
Instagram: @hudsonhenriquer
Site oficial: www.hudsonoficial.com
Também encontre minhas publicações em: https://linktr.ee/hudsonhenrique
Hudson Henrique
Enviado por Hudson Henrique em 06/01/2021
Comentários
Somos todos Anjos bêbados demais pra voltar p... R$16,90 Madrugada adentro como essas, costumam me pux... R$14,99 Todas as músicas que nunca cantei. R$14,99
Capa Textos Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links