Hudson Henrique.
Tentando ser tudo no meio do nada. Sendo um nada no meio de tudo, entre todas as outras casas.
Capa Textos Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links

 
Textos
Os vaga-lumes halógenos.

Se for pra pensar em alguém,
calada na noite,
estupefata pelo teor alcoólico das madrugadas
tontas e indecentes
tortas e florescentes.

Ainda que haja, ,em teus olhos,
os brilhos dos vaga-lumes halógenos,
e dos vagabundos mal falados, com seus cigarros elétricos e vinho barato,
ainda eu serei teu.
Ainda serei rei, quem eu ei de escutar
e me tornar teu legado.

Se for pra pensar em alguém,
silenciada por carburadores quentes
ronronando a noite pelas estradas,
que seja em teu leito,
como numa canção desesperada.

Embora você não saiba que
sou grato por ter você, mesmo que seja cada um em sua casa,
cada um em sua valsa,
cada um em sua teórica vida de sonhos.
Cada um dentro da sua própria rotina (turbulenta).

Tudo isso
pra poder dizer
que penso em você todas as noites que não ficaram escuras.
Em todas as peças e parafusos frouxos na parede. Nos tacos soltos na calçada.
Não sou carvalho envelhecendo com mofo.

Mas estou contente, realmente, por você apenas
existir.
Mesmo que não do meu lado.

Transito pra casa,
paro na porta,
abaixo as malas.

Desejo morar contigo, digo sem exitar.
Apreciar as alvoradas com teu café preferido.
Como teu cabelo mexe tanto ao vento perdido,
que sopra o canto dos seus lábios.
Deixando o teu sorriso de lado.
Me acolhendo em uma curvatura de sutileza facial.

Me aconselho a ir com calma.
Ser constantemente paciente, e ter uma alma leve. Como quem é livre e sente os sinos tocando ao longo das notas ventanias do alto dos parapeitos tortuosos.

E você sempre vai ser carregada entre meus manequins de praça, na vitrine mais alta e inalcançável da minha pequena peça de teatro,
na qual eu, ousei rir e não me contive sentado.
Aplausos aos que passaram.

Se for pra marcar
que seja as páginas.
Eu ainda acho que você pode perceber um dia,
um dia.

Sinto em meus ossos
me observarem os vaga-lumes halógenos.
E a noite nunca acaba. Ela nunca acaba.
Você nunca realmente faz tudo o que quer,
mas sonha com tudo que consegue alcançar.

- Da obra: Sarda&Mostardas.

          
Onde me encontrar:
Site oficial: hudsonoficial.com
Instagram: @hudsonhenriquer
Links: linktr.ee/hudsonhenrique
Hudson Henrique
Enviado por Hudson Henrique em 24/03/2021
Comentários
Somos todos Anjos bêbados demais pra voltar p... R$16,90 Madrugada adentro como essas, costumam me pux... R$14,99 Todas as músicas que nunca cantei. R$14,99
Capa Textos Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links